Agenpol 26 anos: Conquistas, história e luta pela valorização dos Agentes de Polícia

A Associação dos Agentes de Polícia Civil do Espírito Santo completa 26 anos nesta segunda-feira (14) e tem a sua história marcada pela luta da valorização da categoria.  Fundada por Aldemir José Lovati, atualmente a entidade possui 348 associados que são sempre bem recebidos na sede da Agenpol.

De acordo com o presidente da entidade, Paulo Pignaton, que assumiu a Agenpol pela primeira vez no dia 31 de janeiro de 2017, quando o então presidente Nilso Plazzi Neto renunciou o cargo, os desafios são gigantes.

“Lutamos por melhorias para toda categoria como a valorização salarial, maior espaço dentro da corporação, melhores condições de trabalho, apoio a todos os agentes em seus locais de trabalho e a conquista do nível superior”, ressalta Pignaton.

A atual gestão, que é a segunda de Paulo, tem como marca principal a abertura do canal de diálogo com o atual governador do Estado, Renato Casagrande.

“Nós conseguimos levar as demandas da categoria ao governo do estado , esperamos agora que tais demandas sejam atendidas”, diz.

A figura masculina sempre foi marcante nos quadros da Polícia Civil e nas associações de classe não era diferente, mas a Agenpol quebrou paradigmas. Na sua fundação, a Agente de Polícia Yara do Carmo Lopes, foi integrante da primeira diretoria, ocupando o cargo de 1ª secretária e a atual vice-presidente é a Paola Ruzene.

A Agenpol faz parte da União dos Policiais do Brasil (UPB), que luta pela manutenção dos direitos dos Policiais Civis na Reforma da Previdência. Pignaton permanece à frente da Agenpol até o dia cinco de janeiro de 2022, ele ressalta que o seu trabalho não seria possível de ser realizado se não fosse a atuação dos demais diretores e também dos funcionários da entidade.

“Eu agradeço a todos os presidentes que me antecederam, meus diretores e a todos os funcionários, em especial a nosso ‘braço direito’ Luciana. Eu digo que temos muitas vitórias e avançamos mais do que imaginávamos sem atropelar ou passar por cima de ninguém e sem prejudicar o cargo de ninguém”.

A força de uma entidade também passa pelo seu corpo jurídico e a Agenpol conta com excelentes profissionais em seu quadro. Os advogados Rafael Roldi, Henrique Pozes, Diego Gaigher, Pedro Pagani atendem os associados previamente agendados.

Dente tantas conquistas, o fortalecimento da Agenpol na Assembleia Legislativa é uma delas. É desta gestão a proposição da instituição do Dia do Agente de Polícia Civil, que está tramitando na Casa de Leis com o apoio do deputado Danilo Bahiense.

“Em nome de todos os Agentes de Polícia agradeço aos deputados Danilo Bahiense, Euclério Sampaio e demais deputados que estão atentos as nossas causas”, agradece.

Além de atuar no cenário político, a Agenpol também se destaca pela união com outras categorias, entidades, sindicato (Sindipol-ES) e as demais forças de segurança do Estado.

“A Agenpol está de portas abertas a todas as categorias da polícia civil Es e a todas as forças de segurança do Estado  e é somente através da união de todos os segmentos das forças de segurança do Estado que poderemos avançar”, diz Paulo Pignaton.

 

A Agenpol está com 26 anos, na maior idade e com fôlego juvenil, possui disposição para lutar cada vez mais em prol dos Agentes de Polícia através da transparência e eficácia.

“São 26 anos de luta e ela está apenas começando . Que os Agentes nunca percam a esperança de um futuro melhor, pois com muita luta vamos alcançar os nossos objetivos. Que Deus abençoe a todos”, finaliza Pignaton.

Saiba quem foram os presidentes da Agenpol

Ademir José Lovati

Carlos Augusto Franco

Silas Cândido dos Santos

Luciene Santana Carreiro

Walter Búfalo

Francisco Serra

Nilzo de Almeida Plazzi Neto

Paulo Mariano Andrade Pignaton (Atual gestão)