COMUNICADO

A Diretoria da Associação dos Agentes de Polícia Civil do Espírito Santo (AGENPOL), vem por meio deste apresentar publicamente esclarecimentos e repudiar veementemente diversas inverdades que estão sendo divulgadas em redes sociais com relação a sua suposta oposição ao PLC que trata da reestruturação da PCES.

Inicialmente cumpre destacar que a AGENPOL JAMAIS promoveu qualquer atividade contra o aludido PLC, muito pelo contrário, apoia e entende que se faz necessário sob a perspectiva de avançar na melhoria da estrutura organizacional das unidades policiais.

É muito triste notarmos que ainda existe uma minoria dentro da própria polícia que fomenta dia a dia a desunião dos cargos da polícia civil.

A redação inicial do PLC foi apresentada à AGENPOL pelo Exmo. Sr. Presidente da Comissão de Segurança da ALES – Deputado Gilsinho Lopes, constava a sorrateira retirada do direito dos Agentes de Polícia em ocupar as funções gratificadas que hoje PLC lhe garante. Constava ainda a não contemplação dos Agentes de Polícia na possibilidade de ocupar as novas funções gratificadas criadas pelo PLC para os cargos da base da PCES.

O próprio Deputado Gilsinho, percebendo tal retrocesso, manifestou sua contrariedade neste ponto específico da redação inicial do PLC, que pretendia retirar direito historicamente conquistado pelo cargo de Agente de Polícia. A situação foi superada com auxílio do nobre Deputado acrescentando no atual projeto o cargo de Agente de Polícia Civil nas funções gratificadas.

A AGENPOL atuou neste ponto, no sentido de cumprir sua missão, proteger os direitos dos Agentes de Polícia, o que foi prontamente atendido pelo Governo.

Com relação ao pleito do nível superior a AGENPOL continuará atuando politicamente e de forma institucional para que essa injustiça seja eliminada, no entanto JAMAIS irá atrapalhar a conquista de outros cargos da PCES nessa missão, conforme, lamentavelmente tenta fazer crer outras Entidades Associativas. Importante salientar ainda que a AGENPOL luta pela união na PCES e sempre deixa isso claro em todas as suas manifestações e atividades, pois entende que somente a união proporcionará a existência de uma Instituição Policial forte, eficiente e mais valorizada.

Por fim, a AGENPOL tem certeza que a atual Chefia de Polícia Civil, na pessoa do Dr Guilherme Daré, tem apoiado as causas e pautas de revindicações propostas pela AGENPOL, tanto que foi homenageado recentemente pela associação em um evento, momento em que restou registrado o apreço à excelente gerência institucional realizada pelo atual Chefe de Polícia, que sempre prestigiou todos os cargos da PCES e conduz a nossa instituição com muita eficiência, imparcialidade e competência.

Diretoria da AGENPOL