Presidente e associados da Agenpol recebem medalha José Gilberto Barros em sessão solene da Ales

O presidente da Agenpol Paulo Pignaton e mais três associados da entidade receberam nesta quarta-feira (13) a medalha José Gilberto Barros de Faria durante sessão solene na Assembleia Legislativa.  Esta foi a primeira vez em que é realizada a entrega da medalha que tem o nome do delegado.

Para o presidente da Associação dos Agentes de Polícia Civil do Espírito Santo, Paulo Pignaton, a sessão solene representou o reconhecimento do profissionalismo dos Policiais Civis, em especial, dos Agentes da instituição.

“Sei que a população e nossos chefes imediatos reconhecem o brilhante trabalho que vem sendo realizado ao logo dos anos pela categoria dos agentes, falta agora o Estado fazer sua parte e reconhecer o trabalho realizado por esses profissionais e fazer justiça com os Agentes de Polícia. Sinto-me reconhecido pelo trabalho feito ao longo dos anos na Polícia Civil, um trabalho de responsabilidade, honestidade e com muita garra. Eu dedico essa comenda a minha categoria, os Agentes de Polícia Civil essa homenagem recebida pelas mãos do deputado Gilsinho Lopes”, disse Paulo Pignaton.

O Agente de Polícia Civil, Geraldo da Silva Filho, popularmente conhecido como Geraldinho que é associado da Agenpol desde a sua fundação destacou que trabalhou com o delegado José Barros de Faria, que faleceu em 2009, primeiro delegado a ocupar o cargo de diretor-geral da Polícia Civil em 1974.

“Eu me sinto feliz porque tive o prazer de trabalhar com o Gilberto Barros de Farias, um homem idôneo e ser humano exemplar. Eu fico honrado por receber essa comenda”.

O deputado Gilsinho Lopes (PR), autor da Resolução 3.192/2012 que criou a Medalha Delegado José Gilberto Barros de Faria, assim como Geraldinho, destacou que o policial foi um homem honrado, que promoveu a justiça em seu trabalho como delegado e dirigente da Polícia Civil.

O Agente Ericson Pereira Santos, também associado da Agenpol desde 2011, ressaltou que a categoria deve ser valorizada. “É um reconhecimento pelo trabalho prestado à sociedade capixaba. Nós não temos o reconhecimento devido do Governo do Estado, mas a Assembleia Legislativa lembrou-se do trabalho que realizamos nos municípios onde desenvolvemos as nossas atividades”.

O terceiro agente e também associado da Agenpol homenageado na sessão solene, o Policial Civil Antônio Carlos Muniz disse que é sempre bom ser reconhecido, pois o reconhecimento fortalece o profissional.

Reportagem: Assessoria de Imprensa Agenpol.